Mais resultados

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Mais resultados

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Brasil conquista duas medalhas de ouro na primeira etapa do Sul-Americano

Juliana Campos comemora pontos no Ranking e o fato de estar perto do Mundial (Foto: Wagner Carmo/CBAt)

As brasileiras Juliana de Menis Campos e Gabriele Sousa de Santos conquistaram na manhã desta sexta-feira (28/7) as primeiras medalhas de ouro no Campeonato Sul-Americano Adulto de Atletismo, no Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa, na Vila Clementino, em São Paulo. E as duas tiveram motivos adicionais para comemorar porque estão praticamente qualificadas pelo Ranking por Pontos para o Campeonato Mundial de Atletismo, de Budapeste, que será disputado de 19 a 27 de agosto, na Hungria.

“Acho que estou dentro e por isso estou muito feliz. Tentei até o índice para a Olimpíada de Paris-2024 e não passei por detalhes a marca de 5,73 m”, afirmou Juliana, que conquistou o seu primeiro título sul-americano da carreira. Foi seu recorde pessoal. O anterior era de 4,56 m, obtido em 2018 em Castellón, na Espanha.

“Voltei a ter uma temporada mais regular em 2023. Mudei de treinador e toda mudança implica muitas adaptações, de técnica e de varas”, comentou a atleta, que treina com Karla Rosa da Silva e defende a ACA (SC).

A venezuelana Robeilys Peinado terminou em segundo lugar, com 4,50 m, e colombiana Katherin Stefanny Castillo Ibarbo ficou em terceiro, com 4,20 m.

Já Gabriele de Sousa, do Pinheiros-SP, conquistou o seu quinto título sul-americano, com 13,92 m (1.1). A atleta treinada por Tânia e Nélio Moura ficou feliz, embora esperasse um resultado melhor. “A vitória é sempre importante, pela medalha e pela pontuação para o Ranking da World Athletics. Vou aguardar minha convocação para o Mundial de Budapeste”, disse a carioca, de 28 anos.

A colombiana Estrella Marina Lobo Contreras conquistou a medalha de prata, com 13,54 m (1.7), seguida da equatoriana Adriana Katerine Chila Ayovi, com 13,42 m (0.6).

Nos 1.500 m, July Ferreira da Silva conquistou a primeira medalha do Brasil na competição, com 4:16.78, o melhor tempo depois da gravidez de Gustavo, de 2 anos. “Estou de volta ao atletismo de alto nível”, comentou muito feliz com o resultado. Aos 28 anos, a tendência é melhorar muito ainda. “Estou muito feliz com a prova”, concluiu, agradecendo ao treinador Adauto Domingues. “Ela voltou a pensar como atleta em março deste ano. Tem ambição e boas condições físicas e mentais. Pode melhorar ainda mais os seus resultados”, comentou o treinador.

A argentina Fedra Aldana Luna Sambrán conquistou o ouro, com 4:14.52, enquanto a uruguaia Maria Pia Fernandez levou o bronze, com 4:16.10. A também brasileira Jaqueline Weber ficou na quarta colocação, com 4:18.10.

Outra medalha de prata foi alcançada pelo gaúcho Guilherme Kurtz, também nos 1.500 m, com 3:48.11. “Foi uma prova muito lenta, ninguém quis puxar. Agora é pensar na Olimpíada de Paris.”

O argentino Diego Javier Lacamoire conquistou o ouro, com 3:47.99. “Fiquei muito contente porque sabia que era prova seria tática e não de busca de resultado”, comentou. O também brasileiro André Carlos Sousa Sales terminou em terceiro lugar, com 3:49.24.

A peruana Luz Mery Rojas conquistou a primeira medalha de ouro da competição ao vencer a prova do 10.000 m, com o tempo de 34:25.0. Feliz e segurando a bandeira de seu país, ela disse que gostou de sua exibição. “Fiz uma corrida tática e garanti a vitória só no final”, comentou a atleta.

Lizaida Valdivia, também do Peru, ficou com a prata, com 34:26.0, seguida da argentina Daiana Ocampo, com 34:28.2. Jenifer do Nascimento e Maria Lucineida Moreira terminaram em sétimo e em nono, com 35:46.5 e 35:58.0, respectivamente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desafio CPB/CBAt de atletismo marca estreia de 114 atletas paralímpicos em 2024 no CT O Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, recebe 114

Leia mais »