Mais resultados

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Mais resultados

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Petrúcio Ferreira registra melhor marca do ano nos 100m durante Open Internacional Paralímpico de atletismo

O velocista paraibano Petrúcio Ferreira, bicampeão paralímpico e recordista mundial nos 100m da classe T47 (atletas com deficiência nos membros superiores) anotou seu melhor tempo do ano e confirmou o primeiro lugar no ranking de 2023 em sua classe. O resultado foi obtido no 1º dia do Open Internacional Paralímpico de atletismo , que acontece no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, desta quinta-feira, 30, até o próximo sábado, 1º de abril. O torneio recebeu 150 inscrições de atletas de Brasil, Argentina e Uruguai.

Petrúcio Ferreira (centro) corre prova dos 100m no Centro de Treinamento Paralímpico | Foto: Ale Cabral / CPB

Petrúcio correu sua prova principal (100m), que lhe valeu o título de atleta paralímpico mais rápido do mundo, em 10s55. A marca foi obtida durante as provas classificatórias. Na final, Petrúcio obteve resultado parecido, cravando 10s56.

Segundo o ranking do Comitê Paralímpico Internacional (IPC, na sigla em inglês), o melhor tempo na classe em 2023 era do australiano Jaydon Page, que correu os 100m em 10s95 em prova disputada em Melborn, na Austrália, no dia 23 de fevereiro. 

No sábado passado, 25, Petrúcio já havia obtido tempo que o colocava no topo do ranking. O paraibano correu os mesmos 100m em 10s61 na 1ª Fase do Circuito Loterias Caixa de atletismo. O recorde mundial da prova é do próprio Petrúcio, que correu a 10s29 no início do ano passado. A marca foi obtida no Desafio de Atletismo CPB/CBAt, também no CT.

O atleta destacou a importância de obter bons resultados em um ano que terá como principal desafio o Mundial de atletismo, que será disputado em Paris, de 7 a 18 de julho.

“Para mim é o início da temporada, a segunda competição de um ano que terá como foco o Mundial. Começar assim indica que ainda tem muita coisa boa por vir”, afirmou o velocista que sofreu um acidente com uma máquina de moer capim aos dois anos e perdeu parte do braço esquerdo, abaixo do cotovelo.

Cria da Escola Paralímpica de Esportes, a atleta Marcelly Pedroso também correu a prova dos 100m na manhã desta quinta-feira, 30, na classe T37 (atletas com paralisia cerebral). Ela completou o percurso em 14s53. No final de semana anterior, ela havia finalizado a mesma prova em 14s10. 

“Tive um incômodo na última prova da semana passada, que me prejudicou. Mas estamos em uma boa preparação. Vou rever a corrida para analisar os erros, mas acho que tecnicamente estou indo bem”, disse.

Outra marca importante foi obtida por Matheus de Lima, de Araraquara (SP). O atleta do clube Fundesport quebrou o recorde das Américas nos 100m da classe T44 (atletas com deficiência nos membros inferiores) ao correr a 11s33. A marca anterior era dele mesmo, que havia completado os 100m em 11s67 em Paris em junho do ano passado.

As provas do Open Internacional Paralímpico de atletismo desta quinta-feira tiveram transmissão pelo YouTube e Facebook do CPB. 

Patrocínios
O atletismo é uma modalidade patrocinada pelas Loterias Caixa e Braskem.

Programa Loterias Caixa Atletas de Alto Nível 
O atleta Petrúcio Ferreira é integrante do Programa Loterias Caixa Atletas de Alto Nível, programa de patrocínio individual da Loterias Caixa que beneficia 91 atletas. 

Time São Paulo
A atleta Marcelly Pedroso é integrante do Time São Paulo, parceria entre o CPB e a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, que beneficia 106 atletas de 14 modalidades.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desafio CPB/CBAt de atletismo marca estreia de 114 atletas paralímpicos em 2024 no CT O Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, recebe 114

Leia mais »