Mais resultados

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Mais resultados

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Destaques dos Jogos da Juventude em Pirassununga/SP

Terceiro dia

Marcha atlética faz história com os primeiros campeões nos Jogos da Juventude

A prova estreou no programa do atletismo na competição do Comitê Olímpico do Brasil (COB) neste sábado (2/9); Maria Luiza e Davi têm em comum a admiração por Caio Bonfim, duas vezes medalha de bronze em Mundiais nos 20 km, a última delas em agosto, em Budapeste, na Hungria

Maria Luiza e Davi, os primeiros campeões da marcha atlética (Foto: Luiza Moraes/COB)

Maria Luiza Jaime, do Paraná, e Davi Gabriel da Silva, do Espírito Santo, entraram para a história dos Jogos da Juventude do Comitê Olímpico do Brasil (COB). São os marchadores que venceram as provas inseridas pela primeira vez no programa de disputas da competição, que reúne jovens de 14 a 17 anos – o atletismo está sendo disputado em Pirassununga (SP), na pista da Força Aérea Brasileira. Mas os Jogos da Juventude seguem até o dia 16 em Ribeirão Preto (SP).

Não é difícil imaginar quem é a inspiração da dupla de campeões: Caio Bonfim, o principal marchador da história do País, que conquistou a medalha de bronze no Mundial de Budapeste, Hungria, em agosto, com o tempo de 1:17:47, novo recorde brasileiro. Foi a segunda medalha de bronze do brasileiro – a primeira conquistada no Mundial de Londres-2017. De volta ao Brasil Caio segue treinando no Distrito Federal em preparação para os Jogos Pan-Americanos de Santiago, no Chile, em outubro e novembro.

“Me inspiro muito nele para chegar onde ele chegou. Caio começou de baixo e foi treinando, evoluindo mais e mais e é um dos melhores do mundo”, disse Davi, de 15 anos, que venceu os 5.000 m da marcha atlética (25:28.33).

Já Maria, de 17 anos, conquistou ouro nos 3.000 m da marcha atlética (16:15.04). “Vemos tudo o que o Caio está fazendo, com duas medalhas em mundiais. A Viviane Lyra também fez uma baita de uma temporada e isso é muito bom para a marcha. Muita gente não conhece, pensa que é aquela ‘corrida rebolando’. Então, queremos ter mais visibilidade, mostrar que a marcha atlética é para todos”, destacou a jovem paranaense.

Viviane Lyra ficou em oitavo lugar nos 20 km do Mundial de Budapeste, com 1:28:36, o seu melhor resultado pessoal e índice para os Jogos Olímpicos de Paris-2024 (a marca exigida é 1:29:20), e voltou a brilhar nos 35 km marcha atlética do Mundial de Atletismo com o quarto lugar em 2:44.40, novo recorde brasileiro.

Veja a matéria dos marchadores nos Jogos da Juventude e mais fotos no site do COB

https://www.cob.org.br/pt/galerias/noticias/caio-bonfim-primeiros-campeoes-marcha-atletica-jogos-da-juventude/

Segundo dia

Pietra Simões leva ouro e recorde nos Jogos da Juventude

Pietra, ouro e recorde brasileiro sub-18 nos 100 m com barreiras (Foto: Alexandre Loureiro/COB)

A jovem Pietra Campbell Simões foi o destaque do atletismo no segundo dia de disputas dos Jogos da Juventude do Comitê Olímpico do Brasil (COB), neste domingo (3/9), em Pirassununga (SP), na pista da Força Aérea Brasileira. Pietra, de 17 anos, que compete pelo Distrito Federal, levou o ouro nos 100 m com barreiras com sua melhor marca pessoal e também o novo recorde brasileiro sub-18 para a prova: 13.42 (1.2). Os Jogos da Juventude prosseguem até o dia 16 em Ribeirão Preto – o atletismo tem mais um dia de disputas -, com transmissão pelo Canal Olímpico e a TV Brasil.

Nos 100 m com barreiras também a marca da segunda colocada Amanda Miranda da Silva, que ficou com a medalha de prata em 13.54, supera o recorde brasileiro anterior, que era de Micaela Rosa de Mello, com 13.56, desde 2017. Ana Beatriz Corassini conquistou a medalha de bronze (14,47 m). Tanto Amanda quanto Ana Beatriz competem pelo Paraná.

No Campeonato Brasileiro Sub-18, sediado em Aracaju (SE) Pietra Campbell Simões (Praia Clube/Exército/Futel-MG) foi vice-campeã nos 100 metros com barreiras e nos 400 metros com barreiras e levou o bronze no revezamento 4×400 misto. “Como os meus pais foram atletas me passam dicas e treinamentos. O treino é individualizado e tenho atenção com as coisas do dia a dia como o horário de dormir e o cuidado com a alimentação”, disse a atleta que é treinada pelo pai Herbet Gustavo Simões.

“A gente vem almejando medalhas, pódios, mas eu não queria deixar outra categoria para trás sem o recorde”, disse Pietra que juntamente com Amanda (Geração Atletismo Cianorte-PR) seguirá com a seleção brasileira para o primeiro Campeonato Ibero-Americano Sub-18 de Atletismo de Lima, Peru, de 15 a 17 de setembro. “Quero buscar ainda mais um pouco no Ibero”, disse Pietra.

Luíse Rosa Braga,  também atleta do Distrito Federal, venceu os 800 m com recorde do campeonato, em 2.14.05. Camila Jessie de Campos, de São Paulo, ficou com a prata (2.16.09) e Aquiza da Silva, do Amapá, com o bronze (2.17.54). Nos 800 m masculino, o pódio teve Vinícius Moraes Costa, São Paulo (1.54.52), Gabriel Felipe dos Santos, Paraná (1.58.20) e Valdir Rocha Jr, Goiás (1.58.33).

Alberto Rodrigues dos Santos Filho, de São Paulo, venceu o lançamento do disco, com 51,33 m, confirmando o seu favoritismo – foi também o campeão brasileiro sub-18, em agosto, em Aracaju e integrará a seleção no Ibero-Americano de Lima, assim como o seu colega de clube (Associação Nipo Brasileira de Araçatuba-SP) Alessandro Borges Soares, campeão brasileiro sub-18 no arremesso do peso, que ficou com a medalha de bronze no disco (45,49 m). A medalha de prata foi conquistada por Levi Junior Nascimento Alves, do Rio Grande do Norte (46,17 m). 

Vitória da Silva Barreto, representante de Mato Grosso do Sul, foi a campeã do arremesso do peso, com 14,01 m. Edimara Alves de Jesus, do Espírito Santo, ficou com a medalha de prata (13,49 m) e Indryd Luana da Silva, do Rio Grande do Norte, com a de bronze (13,11 m).

Nos saltos, destaque para atletas de São Paulo. Maria Eduarda de Oliveira (Barra Bonita-SP) ganhou dois ouros. Maria Eduarda, que  também está convocada para o Ibero-Americano de Lima, primeiro foi campeã do salto triplo (12.16 m), na primeira final do dia. Voltou à tarde e venceu o salto em altura com 1,75 m, recorde do campeonato (a marca anterior, de 1,74 m era de Luisa Lummertz Colares Lopes, de 2022). 

No salto em distância, a vitória foi de Renan Akamine (AD Centro Olímpico-SP) com 6,91 m (-0.3). “Era mais uma competição para fechar o meu ano e treinar forte para a próxima temporada pensando no Mundial Sub-20. O vento contra não ajudou muito, mas deu para fechar”, disse Renan, que treina com Alexandre Morato.

Primeiro dia

Vinícius de Brito leva ouro com recordes nos Jogos da Juventude

Vinícius de Brito bate recordes do campeonato, brasileiro e sul-americano (Foto: Luiza Moraes/COB)

Vinicius de Brito foi o destaque do primeiro dia de disputas do atletismo nos Jogos da Juventude ao vencer os 110 m com barreiras com recordes do campeonato, brasileiro e sul-americano sub-18, neste sábado (2/9), na pista da Academia da Força Aérea, na cidade de Pirassununga. Vinícius de Brito (Acarisul) conquistou a medalha de ouro nos 110 m com barreiras em 13.20 (1.7 m/s). Os jogos do Comitê Olímpico do Brasil (COB) serão realizados até o dia 16 em Ribeirão Preto (SP), mas o torneio de atletismo segue até esta segunda (4/9), em Pirassununga, com transmissões pelo Canal Olímpico do Brasil e pela TV Brasil.

O recorde sub-18 da área pertencia a John Edward Paredes, da Colômbia, com 13.34 desde 17/8/2019, o brasileiro era de Thiago Carahyba com 13.41 desde 14/7/2001 e o do campeonato com 13.48 pertencia a Julio Cesar de Oliveira desde 9/11/2013.

Thiago Bonfim, pelo Distrito Federal, ficou com a medalha de prata (13.55) e Lucas de Almeida Rosa, também de Santa Catarina, com a de bronze (13.85). 

Vinícius, que está na seleção brasileira de atletismo convocada para a primeira edição dos Jogos Ibero-Americanos Sub-18 de Lima, Peru, de 15 a 17 de setembro, conquistou duas medalhas de ouro no Brasileiro Sub-18 realizado em agosto, em Aracaju, nos 110 m com barreiras e nos 400 m com barreiras, prova de Alison dos Santos, o Piu, de quem é fã. “Sempre assisto aos vídeos das provas dele”, comenta. 

“Em 2021, disputei os Jogos do Estado (SC), me qualifiquei para os Jogos da Juventude e começou a dar tudo certo, com todos os objetivos sendo cumpridos. Estou confiante nos resultados”, disse Vinícius, que treina com Jeferson Bagatoli, o Jefinho. “Parece irreal, tem sido tudo muito ligeiro.”

Vinícius foi ao Estádio Municipal Alfredo João Krieck de Rio do Sul quando tinha 12 para 13 anos para jogar futebol. “Entrei na sala errada, a do atletismo. Pedi para treinar e comecei a correr, achava que era atividade física e só descobri quase um mês depois quando perguntei ao Jefinho quando tinha treino com bola”, contou Vinícius. “Aqui não é futebol, é atletismo”, ouviu do treinador. “Eu já estava, gostei e resolvi ficar no atletismo”, acrescentou.

Hakelly da Silva, nos 100 m, do Rio de Janeiro, e Amanda de Miranda, nos 400 m, do Paraná, também estão entre os atletas que foram campeões no Brasileiro Sub-18, realizado em agosto, em Aracaju, por seus clubes e voltaram ao pódio com ouro em suas provas nos Jogos da Juventude, agora pelos seus Estados.

Hakelly da Silva (AECD-Macaé-RJ), de apenas 14 anos, que pratica atletismo há um ano venceu os 100 m e os 200 m no Brasileiro Sub-18, ficou com o ouro nos 100 m neste sábado (2/9) em Pirassununga, com 11.95 (1.9 m/s). Kellin Fischer (SC) ficou com a prata (12.13) e Maria Fernanda Moreira Rosa (MA) com o bronze (12.17).

Nos 100 m masculino a vitória foi de Paulo Henrique Batista (10.2), por Santa Catarina, com Denio Alexandre em segundo (10.6), pelo Ceará, e Matheus Gama em terceiro (10.7), pelo Paraná.

Amanda de Miranda (Geração Atletismo Cianorte) ganhou os 400 m rasos nos Jogos da Juventude, assim como no Brasileiro Sub-18 de Aracaju, quando também foi campeã dos 400 m com barreiras. Amanda terminou a prova de Pirassununga em 55.11, seguida por Grazielly Sena, de São Paulo, com 55.70, e Letícia Evelyn Lopes, do Paraná, com 57.29.

Nos 400 m masculino o pódio teve Júlio Cesar Siqueira Filho, de Goiás (49.12), Lucas de Almeida Rosa, de Santa Catarina (49.13) e Tiago Melonio, do Maranhão (49.20). 

Na marcha atlética, prova que fechou o programa do primeiro dia de disputas, as medalhas de ouro ficaram com Maria Luiza Rabelo Jaime, do Paraná, nos 3.000 m (16.15.04), e Davi Gabriel Bastos da Silva, dos Espírito Santo, nos 5.000 m (25.28.33). 

Darlan Romani, campeão mundial indoor do arremesso peso compareceu à pista da Academia da Força Área, em Pirassununga (SP), como Embaixador dos Jogos da Juventude 2023. O carismático Sr. Incrível – pela semelhança com o personagem de desenho animado – acompanhou as disputas e interagiu com os jovens fãs fazendo fotoe e dando autógrafos. “É gratificante ver a alegria das crianças, eles virem fazer uma foto, dizerem que torcem por mim. É a nossa função dentro do esporte, dar um bom exemplo e trazê-los para perto, para conhecer e desfrutar do nosso esporte maravilhoso”, disse Darlan.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desafio CPB/CBAt de atletismo marca estreia de 114 atletas paralímpicos em 2024 no CT O Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, recebe 114

Leia mais »