Mais resultados

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Mais resultados

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

As duras provas da maratona no Mundial de Budapeste

Brasileiros completam a maratona do Mundial de Budapeste

Jonathas Cruz, o 29º na maratona do Mundial de Budapeste (Foto: Wagner Carmo/CBAt)

O último dia de competições do Campeonato Mundial de Atletismo de Budapeste, na Hungria, foi aberto neste domingo (27/8) com a prova masculina da maratona. E, assim como ocorreu no sábado (26/8) na categoria feminina, a competição foi muito difícil por causa do calor e da alta umidade relativa do ar.

Os três brasileiros – Johnatas de Oliveira Cruz, Paulo Roberto de Almeida Paula e Justino Pedro da Silva – “sobreviveram” e completaram os 42,195 km. O mineiro Johnatas terminou em 29º lugar, com 2:15:13, o melhor sul-americano. O paulista Paulo Roberto, de 44 anos, ficou em 39º, com 2:17:18, enquanto o pernambucano Justino obteve a 58ª colocação, com 2:25:53.

“Foi uma prova muito dura e teve uma quebradeira geral”, comentou o treinador Luís Fernando de Almeida Paula, irmão gêmeo de Paulo Roberto, que acompanhou os maratonistas em Budapeste. “Foi uma corrida que maltratou todos os participantes.”

Luís Fernando afirmou que o Mundial de Budapeste foi o último da carreira de Paulo Roberto. “Ele vai continuar correndo em alto nível até os Jogos Olímpicos de Paris, em 2024. Depois disso, ele ainda vai correr, mas sem compromisso”, disse. Paulo Roberto é um dos atletas mais consistentes da maratona. Entre seus grandes resultados estão o oitavo lugar nos Jogos de Londres-2012 e o sétimo no Mundial de Moscou-2013.

Dos 85 atletas que largaram na Praça dos Heróis apenas 60 completaram a prova e muitos precisaram de atendimento médico na chegada. O tiro de partida foi dado às 7 horas (2 horas de Brasília), com 22 graus e 77% de umidade. No final, a temperatura era de 28 graus, com 61% de umidade.

Apesar da situação adversa, quatro atletas conseguiram correr a distância – dividida num circuito de 10 km – abaixo de 2:10. A vitória ficou com Victor Kiplangat, de Uganda, com 2:08:53. O israelense Maru Teferi terminou em segundo lugar, com 2:09:12, seguido do etíope Leul Gebresilase, com 2:09:19.

Brasileiras enfrentam maratona complicada em Budapeste

Valdilene dos Santos Silva na maratona do Mundial (Foto: Wagner Carmo/CBAt)

O calor e a alta umidade relativa do ar foram os principais adversários das atletas que disputaram a maratona do Campeonato Mundial de Atletismo de Budapeste, na Hungria. Das 77 corredoras que largaram na Praça dos Heróis, 12 não conseguiram completar as quatro voltas no circuito e a distância total de 42,195 km.

A largada foi dada às 7 horas (2 horas de Brasília), com 23 graus e 77% de umidade. A prova terminou com o termômetro marcando 29 graus e 57%, com muitas atletas precisando de atendimento médico.

As três brasileiras enfrentaram as condições climática e completaram a maratona. Valdilene dos Santos Silva ficou em 47º lugar, com 2:39:58. Andreia Hessel terminou na 52ª posição, com 2:42:23, enquanto Mirela Saturnino de Andrade fechou a prova em 64º, com 2:47:29.

“A gente sabia que a prova seria complicada e realmente foi. Fiquei entre as 50 e como sempre é um prazer representar o Brasil”, comentou Valdilene.

A Etiópia fez dobradinha na competição. A vitória foi de Amane Beriso Shankule (2:24:23), seguida de Gotytom Gebreslase (2:24:34). A marroquina Fátima Ezzahra Gardadi ficou com o bronze (2:25:17).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desafio CPB/CBAt de atletismo marca estreia de 114 atletas paralímpicos em 2024 no CT O Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, recebe 114

Leia mais »