Mais resultados

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Mais resultados

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Disputas acirradas marcam 1º dia de disputas do Brasileiro Sub-16

O Campeonato Brasileiro Interclubes Loterias Caixa de Atletismo Sub-16, da categoria de entrada nos eventos nacionais da CBAt, teve disputas acirradas nesta sexta-feira (14/10) no Complexo Esportivo de Timbó, Santa Catarina. A competição prossegue até domingo (16/10), com transmissão ao vivo pelo YouTube da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt).

Juliany Costa, campeã dos 1.000 m com obstáculos
(André Schroeder/CBAt)

Juliany Francisca da Costa (Geração Atletismo Cianorte-PR) venceu os 1.000 m com obstáculos em 3:14.25 e lamentou ter ficado a um segundo do recorde brasileiro da categoria. “Eu queria ter batido o recorde, mas estou muito feliz com o bicampeonato sub-16”, disse a atleta de 15 anos, que também foi campeã brasileira sub-18 dos 2.000 m com obstáculos este ano. “É meu terceiro título brasileiro, vou comemorar”, disse Juliany que ainda corre os 300 m com barreiras em Timbó. “Depois vou para as férias e base para 2023.”

Juliany, que treina na pista de terra do Atletismo da Praça Olímpica, em Cianorte, vai de bicicleta aos treinos, mesmo transporte que usava quando começou, aos 10 anos. “Só que eu ia com meu irmão mais velho Alexandre, de carona”, comenta a atleta que treina com Tamires Aparecida dos Santos.

Milena Correa (Corville-SC) ganhou a medalha de prata, com 3:23.47, e Kawani Sofia de Oliveira Carneiro (Sport Club Recife) a de bronze, com 3:31.67.

Matheus Carvalho (Teutônia-RS) foi o campeão dos 1.000 m com obstáculos masculino com 2:47.59, com Enzo Okuyama (PM São José dos Pinhais-PR) em segundo (2:48.04) e Cauã Lucchesi da Silva (PREMA-PR) em terceiro (2:55.51).

Roni de Jesus Santos (Clube Magdalena-ES) venceu o lançamento do disco, com 54,95 m. Murilo Bezerra (Corville-SC) foi o segundo colocado, com 48,83 m, e Gabriel Carneiro (FECAM/ASSERCAM-PR), o terceiro, com 48,81 m. Roni, de 15 anos, fez o seu recorde pessoal e assumiu a liderança do Ranking nacional no quarto lançamento – tinha 52 m do Estadual do Espírito Santo. Foi praticar atletismo por influência do irmão Ronicleiton, de 18 anos, em Porto Belo, extremo norte do Espírito Santo no Clube Magdalena que tem 70 atletas e treina em pista de terra, projeto coordenado pelo professor Alan Rodrigues Batista.

Emily Mariana Santos da Silva (AD Centro Olímpico-SP) venceu a prova feminina (42,46 m), com Kimberly de Souza Assiz (PM de Colombo) em segundo lugar (41,22 m) e Yasmin Ekhardt (SRM-SC) em terceiro (36,87 m). 

Yasmin de Oliveira Lana (USIPA-MG) venceu o salto triplo com 10,58 m (0.2). Sua melhor marca é 11,26 m – ficou longe, a chuva forte que caiu em Timbó atrapalhou, mas comemorou o título. “A marca eu poderia ter conseguido mais”, afirmou. O vídeo da medalhista olímpica com o revezamento 4×100 m Lucimar Moura, que sua equipe recebeu antes de viajar para Santa Catarina, serviu de inspiração. “Eu corria 5 km desde pequena. A Lucimar mora perto de casa, e esse é o clube em que ela começou”, disse a atleta de 15 anos. “Ela falou que se ela conseguiu nós também podemos ter esse sonho.”

A dupla da AA Paranavaí-PR Rafaela Garcia Brito, com 10,07 m (-0.7), e Ana Carolina Treiche, com 10,02 m, completaram o pódio do triplo.

Gabriel Martins Dutra (ASA-Sorriso-MT) foi o campeão do salto triplo masculino, com 12,88 m. Kauan da Silva de Vicente (SRM-SC) foi o vice-campeão com 12,61 m, e Benjamin da Silva Oliveira (AMAM-AM) o terceiro colocado com 12,52 m. 

“Foi difícil aquecer, minha marca poderia ter sido acima dos 13 metros. Era o objetivo, mas saiu 12,88 m. É meu primeiro título brasileiro e estou feliz. Agora é férias e depois retornar para a base para 2023”, disse Gabriel que completa 15 anos em novembro e na próxima temporada competirá no sub-18. Fazia futebol, mas nunca conseguia viajar para competir pela modalidade e a escolinha era cara. “Comecei a ver que o pessoal do atletismo competia e viajava e daí mudei”, contou Gabriel que treina com Marcos Vieira, em Sorriso, Mato Grosso.

Pódio do salto com vara no Brasileiro Sub-16
(André Schroeder/CBAt)

Pela manhã, Thays Araújo de Oliveira (AA Maringá-PR), de 15 anos, travou um duelo com Letícia Lara Souza Santos (Orcampi-SP), também de 15 anos, no salto com vara. Thays ganhou a primeira medalha do Brasileiro Sub-16, de ouro, com 2,65 m, seu recorde pessoal na prova. A prata foi conquistada por Letícia, com 2,55 m, e o bronze por Natália Valcanaia (APA/Secel/Jaraguá do Sul), com 2,35 m.

Thays melhorou muito o seu recorde pessoal, que era de 2,50 m – do Campeonato Paranaense, em Cascavel. “Estava bem ansiosa, trabalhei muito para melhorar a minha marca. Agradeço a Deus, a minha treinadora (Sandra Regina Crul), a minha família e amigos”, disse a saltadora que começou no atletismo na escola municipal Gabriel Sampaio, de Maringá, fazendo distância, altura e corrida. “Mas o salto com vara é uma prova que eu gosto”, disse, acrescentando que ter na equipe Renan Gallina, de 18 anos, que correu os 200 m em 20.12, índice para o Mundial de Budapeste (adulto), Hungria, no ano que vem, é uma inspiração.

A Fundação Municipal de Esporte (FME) da Prefeitura de Timbó (SC) é parceira na realização do Brasileiro Sub-16.

A Prevent Senior NewOn é patrocinadora do atletismo brasileiro oferecendo medicina esportiva de precisão e estilo de vida para os que se ligam no esporte e apoio às competições.

As Loterias Caixa são a patrocinadora máster do atletismo brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desafio CPB/CBAt de atletismo marca estreia de 114 atletas paralímpicos em 2024 no CT O Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, recebe 114

Leia mais »