Mais resultados

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Mais resultados

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Brasil domina a penúltima etapa do torneio de atletismo nos Jogos Sul-Americanos

A seleção brasileira de atletismo conquistou mais 14 medalhas na noite desta sexta-feira (14/10), sendo 4 de ouro, 4 de prata e 6 de bronze nos Jogos Sul-Americanos de Assunção, na pista do Comitê Olímpico Paraguaio, em Luque, no Paraguai. A competição termina neste sábado (15/10). No total, o Brasil soma 36 medalhas (14 de ouro, 9 de prata e 13 de bronze) no torneio do atletismo.

Lucas Rodrigues da Silva (Equipe Medex-RJ) conquistou o ouro nos 200 m, com o tempo de 20.89, seguido do equatoriano Anderson Jair Marquinez, com 20.91, e do venezuelano Rafael de Jesus Vasquez Leon, com 21.01.

“Esta foi uma temporada de muito aprendizado, disputei meu primeiro Campeonato Mundial, ganhei o ouro aqui. Não gostei da marca. Sei que poderia correr bem melhor, mas graças a Deus vou para as férias, curtir minha família”, disse o carioca.

Ana Azevedo leva um ouro e duas medalhas de bronze
(Gaspar Nóbrega/COB)

Na prova feminina, Ana Carolina Azevedo, ouro nos 100 m, ganhou o bronze nos 200 m, com 23.43. A vitória ficou com a equatoriana Gabriela Anahi Suarez, com 23.06, seguida da venezuelana Orangy Jimenez, com 23.31.

“Nunca me machuquei, mas estou com um edema, não doeu, mas como estamos na chuva é para se molhar. Duas medalhas importantes”, comentou a atleta logo após concluir a prova. Ana ainda fechou a noite com mais um bronze, com o revezamento 4×100 m.

Outro ouro foi conquistado no arremesso do peso, com Welington Silva Morais, o Maranhão (Pinheiros-SP), com 20,00 m. Willian Denilson Venâncio Dourado (UCA-SC), com 19,77 m, ficou a prata, enquanto o argentino Nazareno Uriel Sasia garantiu o bronze, com 19,73 m. “Muito feliz com o ouro e com a marca. Eu e o Willian estamos, junto com o Darlan (RomaAna Azevedo leva um ouro e duas medalhas de bronze
(Gaspar Nóbrega/COB)ni), mudando o padrão do peso. Nós buscamos superar a barreira dos 21 m”, comentou Maranhão, abraçado com o Willian.

No salto triplo, mais duas medalhas brasileiras. Gabriele Sousa dos Santos (Pinheiros-SP) ganhou o ouro, com 13,74 m, e Nubia Aparecida Soares (Clã Delfos-MG) terminou com o bronze, com 13,10 m. A prata ficou com a equatoriana de origem cubana Liuba Maria Zaldivar Rojas, com 13,49 m. “Saio daqui muito satisfeita. Esperava uma marca melhor, mas estou muito feliz com o ouro e por representar bem o Brasil”, comentou Gabriele.

No lançamento do disco, dobradinha brasileira. Izabela Rodrigues da Silva, finalista em Tóquio-2021, garanti o ouro, com 60,86 m, seguida de Andressa Oliveira de Morais, com 60,10 m. A chilena Karen Gallardo assegurou o bronze, com 57,62 m.

No salto com vara, a venezuelana Robeilys Peinado garantiu o ouro, com 4,20 m, mesma marca da brasileira Juliana De Menis Campos (ACA-SC), medalha de prata. Isabel Demarco de Quadros (AABLU-SC), com 4,10 m, ficou com o bronze. “Quero agradecer a todos que torceram por mim. Estava bem, mas não consegui saltar mais alto, embora bem preparada”, disse Juliana.

Nos 400 m com barreiras, mais três medalhas. Prata com Chayenne Pereira (Pinheiros-SP), com 57.91, seguida de Liliane Barbosa Parrela (UCA-SC), com 57.92. O ouro ficou com a colombiana Valeria Cabeças, com 57.17. No masculino, Hederson Alves Estefani (Pinheiros-SP) foi bronze, com 50.99.

“Estamos no fim da temporada. Sei que poderia ser melhor, errei algumas passadas. Sabia que a Valeria viria com tudo”, lembrou Chayenne. “Agora é descansar um pouco”, completou a atleta, que representou o Brasil na Olimpíada de Tóquio-2021 e no Mundial do Oregon-2022.

O Brasil, com Vida Aurora, Ana Azevedo, Gabriela Mourão e Micaela Rosa de Mello, ficou com o bronze no revezamento 4×100 n, com um time improvisado, depois da lesão de Vitória Rosa. A equipe completou a prova, com 45.43. A Colômbia comemorou o ouro, com 44.61, seguido do Chile, com 45.04. No masculino, o Brasil errou na passagem de bastão e foi desqualificado.

A competição do atletismo termina na manhã deste sábado (15/10), com a disputa das últimas nove provas do programa. As delegações nos Jogos Sul-Americanos são de responsabilidade do Comitê Olímpico do Brasil (COB) e Jogos Sul-Americanos reúnem cerca de 500 atletas de 45 modalidades.

A Prevent Senior NewOn é patrocinadora do atletismo brasileiro oferecendo medicina esportiva de precisão e estilo de vida para os que se ligam no esporte e apoio às competições.

As Loterias Caixa são a patrocinadora máster do atletismo brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desafio CPB/CBAt de atletismo marca estreia de 114 atletas paralímpicos em 2024 no CT O Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, recebe 114

Leia mais »