Mais resultados

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Mais resultados

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Africanos dominam primeira edição do Mundial de Corrida de Rua

A competição foi disputada neste domingo (1/10) em Riga, na Estônia, com vento e frio; o Brasil participou com 11 atletas, com destaques para Jaqueline Weber, com recorde brasileiro, e Guilherme Kurtz na milha (1.609 m); o Quênia foi o campeão no quadro geral de medalhas, seguido da Etiópia

Equipe da meia maratona Foto: Aércio Oliveira/CBAt

Os africanos, especialmente os quenianos, dominaram a disputa da primeira edição do Campeonato Mundial de Corrida de Rua, realizada neste domingo (1/10), na cidade de Riga, na Letônia. As provas foram disputadas com temperaturas que variaram dos 15 aos 17 graus. O Brasil disputou o Mundial com 11 aletas, com destaque na milha (1.609 m) para Jaqueline Weber, com recorde nacional, e Guilherme Kurtz, com melhor marca pessoal.

Na meia maratona o domínio absoluto foi do Quênia, que conquistou as medalhas de ouro, prata e bronze no feminino e no masculino. Peres Jepchirchir foi a campeã, com 1:07:25, seguida de Margareth Chelimo Kipkemboi (1:07:26) e de Catherine Amanang’Ole (1:07:34).

Brasileiras da meia maratona Foto: Aércio Oliveira/CBAt

A prova contou com 72 participantes. Valdilene dos Santos Silva foi a brasileira mais bem colocada, terminando em 42º lugar (1:14:54) com o seu melhor resultado da temporada. Aline de Freitas ficou em 56º (1:17:51, recorde pessoal), enquanto Larissa Moreira Quintão completou os 21,097 km em 60º (1:18:54). Já Jenifer do Nascimento Silva abandonou.

Na categoria masculina, o ouro ficou com Sabastian Kimaru Sawe, com 59:10, seguido de Daniel Simiu Eenyo (59:14) e de Samwel Nyamai Mailu (59:19). Os quatro brasileiros completaram a prova. Johnatas de Oliveira Cruz foi o 52º colocado (1:03:50), Fábio de Jesus Correia o 58º (1:04:12), Maicon da Silva Mancuso o 63º (1:04:45, recorde pessoal) e Altobeli Santos da Silva o 77º (1:07:58). A prova contou com 97 participantes.

“Foi uma competição bem difícil, principalmente na meia maratona, com subidas e muito vento”, comentou o treinador brasileiro Fran Kauê. “O ambiente e o entrosamento da equipe foram excelentes. Ninguém se lesionou, o que é muito importante.”

Milha tem recorde brasileiro – Além da meia maratona, foram disputadas corridas da milha e de 5 km. Os 1.609 metros foram vencidos, no feminino, pela etíope Diribe Welteji, com 4:20.98, novo recorde mundial. A sua compatriota Freweyni Hailu levou a prata (4:23.06), seguida da queniana Faith Kipyegon (4:24.13).

Jaqueline o Técnico Fabiano Peçanha (imagem pessoal)

A brasileira Jaqueline Beatriz Weber quebrou o recorde nacional, com 4:50.11, ficando em 24ª posição. O recorde anterior era de Edna Maria de Oliveira Silva, com 5:06.0, desde 20 de maio de 2004, alcançado em Belém (PA).

Na categoria masculina, o pódio foi formado por não africanos. Vitória do norte-americano Hobbs Kessler, com 3:56.13, novo recorde mundial. O britânico Callum Elson ficou em segundo (3:36.41), seguido do americano Samuel Prakel (3:36.43). O gaúcho Guilherme Kurtz obteve a 18ª posição, com 4:02.75, recorde pessoal.

Nos 5 km, o ouro ficou com a queniana Beatrice Chebet (14:35), a sua compatriota Lilian Lasait Rengeruk levou a prata (14:39) e a etíope Ejgayehu Taye, o bronze (14:40). A catarinense Simone Ponte Ferraz terminou em 30º lugar, com 16:39, recorde pessoal.

Na categoria masculina não houve participação de brasileiros. O etíope Hagos Gebrhiwet foi o campeão (12:59), seguido de Yomif Kejelcha, também da Etiópia (13:02) e do queniano Nicholas Kipkorir (13:16).

No quadro geral de medalhas, Quênia foi o campeão com 12 (5 de ouro, 3 de prata e 4 de bronze). A Etiópia ficou em segundo lugar, com 7 (2, 4 e 1). Os Estados Unidos terminaram em terceiro, com 2 (1 de ouro e 1 de bronze).

O Grupo Prevent Senior patrocina o atletismo brasileiro, oferece medicina esportiva de precisão e estilo de vida para os que se ligam no esporte e apoio às competições.

As Loterias Caixa são a patrocinadora máster do atletismo brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desafio CPB/CBAt de atletismo marca estreia de 114 atletas paralímpicos em 2024 no CT O Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, recebe 114

Leia mais »